20 de jun de 2011

Ken Kessey e os Merry Pranksters

Faça de sua vida arte. Seja Livre.
O ônibus dos Merry Pranksters



Uma das idéias mais libertárias (e libertadoras) do século XX, foi a experiência proposta por Ken Kesey, cuja finalidade (dentre muitas) era a de destravar o indivíduo.


Ken Kesey

Ken Kesey era um escritor bem-sucedido, autor do best seller Um Estranho no Ninho (que mais tarde viraria um filme exemplar, dirigido por Milos Formam e estrelado por Jack Nicholson), já aí criticava a normalidade emburrecedora do sistema em que vivemos.


Um Estranho no Ninho

Foi então que abandonou uma vida segura e previsível, custeada pelos lucros obtidos com seus romances que vendiam bem (apesar de críticos), em troca de uma vida de experiências e descobertas, no ambiente mais natural das comunidades rurais.




Então, se tornou um elemento marginal, 
criticado pela sociedade que admirava seus livros transgressores e que ao mesmo tempo celebrava o estilo de vida burguês, hipócrita, convencionalizado: libere-se apenas na teoria e nunca na prática.

Você passaria no teste do ácido?

Ken Kesey mudou-se para a Califórnia e lá iniciou os Testes do Ácido, que consistiam em festas ou eventos públicos promovidos por ele e sua trupe, os Merry Pranksters (os Festivos Gozadores).




Tudo isso englobava performance e shows multimídia acompanhados de bandas de rock. 

Os Grateful Dead foram uma das que os acompanharam. A maioria dos testes do ácido era feita de forma simples e espontânea, explorando a linguagem do Happening.


Ken Kesey vestia-se de Tio Sam e distribuía ácido lisérgico


Os testes do ácido surgiram da crítica de Kesey ao projeto MKUltra, da CIA, em que foi voluntário para testes com LSD e das experiências nonsense da viagem que fez com os pranksters, indo da Califórnia até Nova Iorque, para o lançamento de seu segundo livro: Sometimes a Great Notion. 

Tal experiência se tornou o paradigma da vivência contracultural. Um estilo de vida aberto às possibilidades do ser, sem o peso do super-ego burguês.

A viagem se deu em um ônibus escolar antigo, repleto de pinturas abstratas e orgânicas, dirigido por Neal Cassady, a inspiração para o personagem Dean Moriarty em On the Road, de Jack Kerouac. 

Cassady era, portanto, uma lenda viva, que re-confirmava tal status dirigindo ainda o ônibus dos Merry Pranksters.




A música Magic Bus, do The Who, parece ter sido inspirada no ônibus dos Pranksters. 

Depois, a mesma ideia foi reaproveitada pelos Beatles em Magical Mystery Tour. Ken Kesey literalmente fez escola.


Kesey e seu ônibus

A viagem a bordo do ônibus Further ocorreu em 1964, e os testes do ácido entre 1964 e 1966, quando o LSD ainda era legalizado. Os acid tests foram a gênese da febre dos light shows.





Inscrição para o teste


Essa performance psicodélico-viajante de Ken Kesey influenciou ainda Andy Warhol e seu grupo, o Exploding Plastic Inevitable, que promoveu uma turnê pelos EUA entre 1966 e 1967, classificado por Kesey como um evento atrasado, em vista do que já havia ocorrido na Califórnia.


teste do ácido para graduação


Toda essa história está relatada no livro do escritor Tom Wolfe (outro autor de best-sellers). Leia: O teste do Ácido do Refresco Elétrico.






Fontes
Uma matéria muito bem feita e completa do site 

Um site com texto bom e muitas fotos legais

Um comentário:

Unknown disse...

Muito boa a matéria, Ja li o livro ''O Teste Do Ácido Do Refresco Elétrico'' e recomendo a todos!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics